Tentando tirar o PSDB da zumbilândia

 

Tentando tirar o PSDB da zumbilândia  Em artigo publicado ontem no jornal O Estado de S. Paulo, Fernando Henrique Cardoso tenta tirar o PSDB da zumbilândia — aquele reino de mortos-vivos. Sai de cima do muro e, como o grande líder partidário que é, dá o rumo aos correligionários: cair fora do governo Temer.

O Planalto ficou irritado e, para o presidente Temer, FHC age por razões eleitorais. Nesse mundo de política, especialmente a brasileira, quem não age por razões eleitorais? Até aqui, nenhuma novidade no front, Temer, porque até mesmo o senhor e seus aliados trabalham exatamente dessa forma.

Em seu artigo, FHC faz uma análise interessante dos prováveis candidatos em 2018 e sentencia: Lula é facilmente derrotável, simplesmente porque seu legado ao Brasil foi crise e recessão, agravados pelos crimes revelados pela Lava-Jato. Nesse contexto, Lula se aproxima das suas bases e se afasta da classe média e dos trabalhadores não organizados em sindicatos. Ou seja, basta haver um candidato confiável, que Lula amargará nova derrota.

Os mais prejudicados com as políticas petistas sabem quem são os responsáveis pelo desemprego e pela crise. Sabem que o PMDB foi comparsa do PT na destruição do Brasil e que não há outro caminho, senão seguir a Constituição, o que implica, necessariamente, em engolir Michel Temer até o final de 2018. Descolar do PMDB, portanto, é crucial para o PSDB, se o partido quiser algum protagonismo nas próximas eleições.

FHC, no entanto, apenas cita indiretamente as acusações que pairam sobre Aécio Neves, seu correligionário que enfrentou o PT no segundo turno das eleições de 2014. Além de se descolar de Michel Temer — porém, garantindo as reformas necessárias, até como prova de que se importa com o país —, o PSDB deveria aplicar sanções a seus membros corruptos. Ao contrário do PT, não há nenhum tucano divino, ungido. Creio que, no eleitorado, isso teria um efeito muito mais positivo. Caso contrário, vemos apenas que o PSDB é mais do mesmo.

Não custa lembrar que foi nos governos de FHC que o Brasil adquiriu estabilidade econômica e proporcionou os avanços do primeiro governo Lula que, em seu segundo mandato, não titubeou em avacalhar e deixar péssima herança para a ainda mais péssima administradora que o sucedeu.

Se o PSDB for suficientemente inteligente, pode ser que ainda haja tempo para construir uma agenda positiva para o Brasil e reconquistar a credibilidade do povo. Mas, talvez, o timing ideal já tenha passado. Too late, Mr. ex-president FHC!

Imagem: Blog do Helder Moura

http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,hora-de-decidir,70002072168

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,para-temer-fhc-age-por-razoes-eleitorais,70002073057

http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/post/ultimato-de-fhc-para-desembarque-do-governo-surpreende-planalto-e-enfraquece-ala-jaburu.html

Para ler mais de Vânia Gomes, clique aqui.

Para comprar o livro mais recente de Vânia Gomes, clique aqui.

Deixe seu comentário