Até que enfim

 

Até que enfim   Assistimos, passivamente, à propaganda antecipada de Lula à Presidência da República.  Diferentemente dos outros pré-candidatos, Lula é conhecido na nação inteira. Essas caravanas nada mais são do que comícios eleitorais. Pois TSE deve julgar, em breve, dois processos que envolvem vídeos veiculados na internet com a finalidade de divulgar a candidatura. Até que enfim!

Caso condenados, terão de pagar multa, cujo valor varia de R$ 5 mil a R$ 25 mil reais. Uma mixaria, comparativamente às cifras das campanhas. No frigir dos ovos, já sabemos no que vai dar: pizza.

Lula não precisa se apresentar ao povo — já foi presidente da República por oito anos e ainda cavou dois mandatos para sua sucessora que, para nossa sorte, foi extirpada do poder extemporaneamente. Por que essas caravanas? Sabemos muito bem que são para ver a temperatura do povo nas ruas. Dizem que Lula fala a multidões por onde passa. O conceito de multidão pode ser entendido tanto no sentido de quantidade de pessoas, quanto no sentido de povo. Ora, a “multidão” do ex-presidente são os convertidos de sua seita, unicamente sua eterna base de apoio: sindicatos e outras entidades ditas de trabalhadores.  Enquanto os verdadeiros trabalhadores do Brasil labutam, entidades como CUT e MST comparecem a comícios lulopetistas em hora de expediente. Multidão, sei…

Bolsonaro, ao contrário, tem capacidade de converter cidadãos para suas ideias. Cresce nas pesquisas. Aliás, estas apontam um segundo turno desolador, desesperador. Se vingar, ficaremos entre a cruz e a caldeirinha, entre o ruim e pior.

Seria bom que o TRF-4 confirmasse logo a sentença do Juiz Moro para Lula. Só assim poderemos ter alguma esperança na eleição do ano que vem.

Imagem: ClickPB

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,tse-vai-julgar-bolsonaro-e-lula-por-antecipacao-de-campanha,70002071624

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,analise-bem-vindos-a-2018,70002071615

Para ler mais de Vânia Gomes, clique aqui.

Para comprar o livro mais recente de Vânia Gomes, clique aqui.

Deixe seu comentário