Uma máquina eficiente

 

Uma máquina eficiente   No Brasil, a máquina estatal vem sendo usada há décadas para garantir não apenas privilégios, como também “ganhos” indevidos. E é bastante eficiente no quesito arrecadação, a depender de quem comanda. Pois a mais eficiente máquina de obtenção de propina, segundo o corrupto Pedro Corrêa, atende pelo nome de Eduardo Cunha.

Os vídeos com trechos da delação foram divulgados ontem. Neles, o ex-deputado conta detalhes sobre a coleta de propina da Petrobras. De acordo com o testemunho, a eficiência da “arrecadação” para os aliados, neste caso relatados o PP e o PMDB, passou pelas ordens de Lula e Dilma.

Lula, o ignorante que nunca sabe de nada, trabalhou para a nomeação de Paulo Roberto Costa para a Diretoria de Abastecimento da estatal. A aprovação do nome do “coletor do quinto” e de Nestor Cerveró só saiu depois de um acordo de pagamento de propina no valor de U$ 6,0 milhões (!!) para o PMDB. O acerto foi feito na casa de Renan Calheiros.

Em 2011, Dilma, a gerentona honesta, ordenou a dois de seus ministros que tivessem uma “conversinha” com Paulo Roberto Costa para que os “pagamentos” ao PP fossem retomados. Essa ordem partiu depois de um papinho com o então ministro Mário Negromonte, ligado ao partido preterido por Costa.

Esse depoimento de Pedro Corrêa deixa ainda mais claro qual a eficiência que os governantes cobram de suas equipes. O atendimento ao público e o funcionamento da máquina estatal para o desenvolvimento do país, definitivamente, não importa. Basta que os aliados estejam todos felizes com seus bolsos cheios, para que se garanta a perpetuação no poder. De todos eles, claro.

Ao que tudo indica, parte considerável dessa felicidade foi garantida por Eduardo Cunha. O que será que houve entre ele e Dilma? A pergunta pode, à primeira vista, parecer estranha, mas algo aconteceu: se o ex-deputado era bom no negócio de obtenção de propinas, era para tudo estar azeitado. Inclusive, durante um bom tempo, a engrenagem da corrupção comandada pelos governos petistas funcionou muito bem. Houve algum crash no meio do caminho, algum desentendimento suficientemente forte para provocar a ira de Cunha, que não hesitou em usar todo o seu poder para trabalhar contra Dilma, indo desde as pautas-bombas até o impeachment. Não temos, ainda, explicação para isso, mas que tem caroço nesse angu, tem.

Foto: Internet (sem atribuição de autoria)

https://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/em-delacao-pedro-correa-cita-lula-dilma-e-diz-que-cunha-era-maquina-de-arrecadar-dinheiro.ghtml

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/eduardo-cunha-era-uma-maquina-de-arrecadar-dinheiro-e-impressionava-todo-mundo-diz-pedro-correa/

Para ler mais de Vânia Gomes, clique aqui.

Para comprar o livro mais recente de Vânia Gomes, clique aqui.