A chantagem de Joesley Batista

 

A chantagem de Joesley Batista   A novela “A delação de Joesley Batista” parece ainda longe de acabar. O empresário se entregou ontem na carceragem da Polícia Federal em São Paulo e hoje já amanheceu longe de seus luxuosos lençóis e com um café da manhã mais… simples. Mesmo assim, essa criatura acha que manda nas instituições e faz chantagem: diz que só entregará as demais gravações se o primeiro acordo de delação não for rescindido.

A prisão de Joesley é temporária, ou seja, tem validade de cinco dias. Pode passar a preventiva — sem prazo para soltura —, assim que expirarem os primeiros cinco dias. Em seu despacho, o Ministro Edson Fachin afirma: “em liberdade, os colaboradores encontrarão os mesmos estímulos voltados a ocultar parte dos elementos probatórios, os quais se comprometeram a entregar às autoridades em troca de sanções premiais, mas cuja entrega ocorreu, ao que tudo indica, de forma parcial e seletiva. Dessa forma, como requerido pelo PGR, resta presente a indispensabilidade da prisão temporária pretendida”. Alguém duvida que o Ministro Fachin não relaxará a prisão de Joesley e de Saud?

Preocupado, o “rei da carne” reforçou sua defesa e contratou o advogado conhecido como Kakay, que defendeu os maiores bandidos do Mensalão e defende os maiores bandidos da Lava-Jato. É crítico feroz do instituto da delação premiada.

Kakay já jogou sua primeira frase de efeito: disse que Janot foi desleal. Inacreditável! Exigir que o Procurador Geral da República tenha lealdade com um bandido? Francamente.

Joesley se ilude achando que tem poder sobre o Ministério Público, com meia dúzia de áudios que nem sabemos se existem mesmo. Na realidade, o meliante-mor da nação não tem a menor condição nem sequer de negociar. Os áudios em que se entrega e demonstra todo seu desprezo com as instituições são mais do que suficientes para que o MPF se posicione firmemente e faça todas as exigências que julgar necessárias e, claro, solicite a prisão preventiva de Joesley. O despacho do Ministro Fachin dá a entender que é exatamente isso que o MPF deve fazer.

Com a contratação de Kakay, é possível que não haja novo acordo de colaboração premiada, caso a iminente rescisão se confirme. Tudo bem. Com o que o bandidão já entregou, o MPF e a PF investigam e chegam lá. Quem tem a perder, mesmo, de verdade, principalmente sem delação, é o próprio Joesley.

Foto: Leonardo Benassatto/Reuters

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2017/09/11/joesley-so-pretende-entregar-gravacoes-ineditas-a-pgr-se-acordo-de-colaboracao-nao-for-rescindido/

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ate-o-fim-joesley-acreditou-que-escaparia-ileso,70001984522

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/09/1917324-definicao-sobre-futuro-da-delacao-da-jbs-pode-ficar-com-raquel-dodge.shtml

https://oglobo.globo.com/brasil/para-fachin-ha-indicios-de-pratica-sistematica-de-delitos-por-joesley-saud-21805645

http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/joesley-de-prisao-temporaria-preventiva.html