“Fogo e fúria”: quem é mais macho?

 

Coreia do Norte e vizinhos“Os americanos devem dormir tranquilos”, disse o Secretário de Estado Rex Tillerson ainda há pouco na televisão, com aquela voz de barítono cansado. Mas o que estamos presenciando desde ontem é uma tempestade de notícias sobre o aumento de tensão entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, com a temperatura subindo mais ainda por conta da retórica inflamada dos dois lados.

Trump, informado pelos serviços de inteligência de que Kim Jong-un conseguiu finalmente — não pretendo com isso parecer triunfante, de jeito nenhum — criar uma ogiva nuclear pequena o suficiente para caber em seus mísseis intercontinentais, resolveu soltar o verbo e agitar as coisas, mas Tillerson afirma que se trata apenas de “linguagem diplomática”, coisa que o ditadorzinho norte-coreano parece não entender, ainda de acordo com o nosso Secretário. Mas como interpretar a promessa de nosso presidente de reagir com “fogo e fúria, como jamais se viu neste mundo”, mais ainda depois de tantos argumentos eleitorais no sentido de que nosso exército e arsenal se encontravam defasados, reduzidos e decadentes após 8 anos de Obama?

O tuíte de Trump no sentido de que sua “primeira ordem como presidente foi renovar e modernizar nosso arsenal nuclear” traz pouco alívio, mesmo querendo acreditar que o arsenal agora está “muito mais forte e poderoso do que nunca antes”. Pessoalmente, estou farta de retóricas do gênero “nunca antes neste país”. Por outro lado, como permitir que um paisinho safado como essa Coreia do Norte — com o perdão do pobre povinho que Deus pôs lá — nos tire o sono e a tranquilidade?

Na TV, o repórter está dizendo que estamos à beira de uma guerra. Já pensaram nisso?

O artigo do Daily Mail informa que, para completar, a Rússia deslocou equipamento pesado para a fronteira sul com a Coreia do Norte no início do  ano,  e esta semana armou uma “ameaçadora” demonstração de seu poderio militar numa parada em Vladivostok, a 160 quilômetros dos coreanos. Por seu lado, a China “executou um exercício militar em larga escala, com dezenas de navios, aviões e submarinos próximos à península coreana nesta segunda-feira, poucos meses depois de deslocar 150 mil soldados” para sua fronteira com o vizinho mal-intencionado.

Como resposta mais imediata, enquanto não mira o Alasca, Detroit e Chicago — pode haver algo mais assustador? — Kim Jong-un está ameaçando direcionar seus mísseis para a ilha de Guam, um território norte-americano mais próximo da Coreia do que, por exemplo, o Havaí,  com 30% de seu espaço ocupado por uma base militar. Mais literalmente, Kim prometeu “envolvê-la em fogo”.

Resumindo, um ataque a Guam seria um ataque aos Estados Unidos, mas Tillerson está lá e disse que não há perigo imediato. Tudo não passa de troca pesada de palavras, pelo menos por enquanto.

Esse agravamento da situação é decorrência da aprovação pela ONU, no último fim de semana, de novo pacote de sanções contra a Coreia do Norte, com a rara adesão de China e Rússia, resultado de “intensas conversações”, de acordo com a embaixadora americana Nikki Haley.

Enfim, fico pensando se essa tempestade verbal vai ser usada em âmbito doméstico para “unificar” o superdividido cenário partidário interno aqui nos Estados Unidos. Nada como um inimigo comum, real e perigoso, não é mesmo? Já funcionou, recentemente, no Oriente Médio, com vários países árabes se unindo a Israel contra o Irã.

De toda forma, fica difícil seguir o conselho de Tillerson quanto a “dormirmos tranquilos”, mas o que se pode fazer? Melhor relaxar e aproveitar a vida, porque fica muito complicado confiar na sanidade mental de King Jong-un — e, cá entre nós, até na de Trump, uma sensação praticamente inescapável, em decorrência da intensa propaganda da mídia contra o presidente.

Como se vê, com todos os problemas, às vezes a vida é mais fácil no Brasil.

Mapa: Wikipedia.

http://www.dailymail.co.uk/news/article-4773702/US-offers-sneak-peak-Trump-s-fire-fury.html#ixzz4pH3F1C6Y

http://www.nbcnews.com/news/world/key-facts-about-guam-center-u-s-north-korea-tensions-n791056

https://www.washingtonpost.com/news/monkey-cage/wp/2017/08/09/will-u-n-sanctions-stop-north-korean-missile-tests-dont-count-on-it/?utm_term=.c642cfc53ca9

https://www.wsj.com/articles/trump-boasts-u-s-nuclear-arsenal-is-more-powerful-than-ever-1502283638

Para ler mais Noga de Sklar, clique aqui.

Para comprar o livro mais recente de Noga Sklar, clique aqui.

Deixe seu comentário