Consertando a herança maldita

 

Consertando a herança maldita   O presidente Michel Temer concedeu uma entrevista ao periódico Estadão, na qual avalia o day after da votação sobre a instalação da denúncia ofertada pela Procuradoria Geral da República. O presidente se mostra seguro e reafirma seu compromisso com as reformas e em consertar a herança maldita deixada pelos governos petistas.

Pelo vídeo disponibilizado, vemos um Temer irritado em alguns momentos. Na entrevista, o presidente usa palavras que não vemos outros políticos usarem, como “constrangido”. Todos se dizem inocentes, até ele próprio, mas não me recordo de alguém anotar o constrangimento de ser acusado de corrupção.

Quem acredita em coelhinho da Páscoa e em Papai Noel também acredita na pura inocência e na mais imaculada honestidade de Michel Temer. Contudo, afastá-lo significaria sair do espeto e cair na brasa. O presidente da República seria Rodrigo Maia, e aí? Mais honesto do que Temer? Vamos nos lembrar de que Rodrigo Maia tem pedigree: é filho de um notório prefeito do Rio de Janeiro que, certamente deu sua inestimável contribuição para a atual situação da cidade.

Michel Temer também avalia a movimentação popular no dia da votação, comparando com os protestos e manifestações pelo impeachment de Dilma. Uma avaliação bem rasa, diga-se de passagem. Os protestos pelo afastamento definitivo de Dilma iam muito além da própria ex-presidente. O impeachment significou, sobretudo, o banimento do PT do poder. O mesmo PT que apoia Nicolás Maduro e que, recentemente, está deixando cada vez mais claras suas intenções e sua ideologia autoritária.

Portanto, meus caros, tudo a seu tempo. Michel Temer não deverá ser eleito nem para síndico de prédio mais em sua vida. Ao sair da Presidência da República, talvez trilhe uma trajetória jurídica semelhante à de Lula, não é de se duvidar. E é exatamente o que esperamos.

Não podemos ser uma Bolívia pré-Evo Morales (nem pós) e muito menos uma Venezuela pós-Hugo Chávez. Analisando o quadro geral, temos que compreender que nosso país precisa de um pouco de estabilidade política para avançar e melhorar a economia. Aliás, foi justamente os que os indicadores econômicos demonstraram: a bolsa subiu; dólar e euro caíram imediatamente após a votação na Câmara dos Deputados.

Temer afirma também que pretende dialogar com o Congresso e recompor a base aliada. Aliás, foi exatamente a falta de diálogo que derrubou Dilma no Congresso — além de ser uma característica pessoal da ex-presidente, pode ser também o jeito de trabalhar do PT, impondo suas vontades, em detrimento da negociação.

Tenhamos consciência de que 2018 será crucial para o nosso Brasil. Diz um meme que está rolando nas redes sociais: “bandido bom é bandido inelegível”. Como sabemos o ritmo da Justiça, inelegível significa simplesmente que não devemos votar.

Para ler mais de Vânia Gomes, clique aqui.

Para comprar o livro mais recente de Vânia Gomes, clique aqui.

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,sem-janot-lava-jato-tera-rumo-certo-afirma-temer,70001924866

Foto: Público