Um dia da caça, o outro…

Depois que o presidente Michel Temer declarou abertamente que os poderes da República têm de estar atentos ao clamor popular, o STF já começou a fazer o dever de casa e concedeu uma medida liminar que afasta Renan Calheiros da presidência do Senado Federal. É estranho, de fato, que uma pessoa indiciada por peculato seja um legislador e, mais estranho ainda, que presida uma casa legislativa.

O protesto dominical, embora nem tão expressivo como os anteriores ao impeachment, já teve seu primeiro resultado. A metodologia é a mesma utilizada para Eduardo Cunha que primeiro foi afastado da presidência da Câmara dos Deputados, e depois teve o mandato cassado pelos colegas. Será que os senadores já estão se movimentando para o segundo passo? Seria interessante se, como Cunha, Renan fosse parar em Curitiba, não?

Para quem há uma semana estava confiante de que enquadraria todos os juízes do país sob a sua lei, Renan foi rapidamente enquadrado. É, parece que os ventos estão mudando…

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ministro-do-stf-decide-afastar-renan-da-presidencia-do-senado,10000092703

http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/12/05/ministro-do-stf-manda-afastar-renan-do-senado.htm